O centro histórico de Torres Vedras constitui uma síntese da expressão material da ocupação humana, na sua diversidade sociocultural, ao longo dos milénios que marcaram a existência do núcleo urbano torriense.

É formado pelos bairros, quarteirões, praças, arruamentos e edifícios de múltiplas funções e características que, durante séculos, foram cingidos e moldados pela cerca medieval, de cujas fundações subsistem vestígios visitáveis. Resultado de sucessivas construções e reconstruções, num crescimento marcadamente orgânico, aqui convivem edifícios residenciais, comerciais e industriais, de notável simplicidade, com majestosas edificações senhoriais, administrativas, religiosas e assistenciais, como os Paços do Concelho, as quatro igrejas matrizes, a Igreja da Misericórdia ou o Chafariz dos Canos.

No conjunto, sobressai o castelo que, alcandorado no alto do morro, domina a cidade e o território envolvente. Fortificação dotada de excelentes condições naturais de defesa, é testemunha da passagem de sucessivos corpos militares, representantes de diferentes povos e países que demandaram a região de Torres Vedras.